Se o seu sangue é do tipo O, você deveria saber essas sete coisas

O sangue humano foi classificado em quatro tipos durante o começo do século 1900, por Karl Landsteiner, um físico austríaco. Até hoje usamos a classificação feita por Landsteiner, e ela é muito importante dentro dos ambientes clínicos, principalmente.

Nessa lista, você vai conferir alguns fatos curiosos e teorias sobre a classificação sanguínea:

1. Como são classificados os tipos sanguíneos?

Os tipos (ou grupos) sanguíneos são classificados de acordo com a incidência de certos antígenos que podem ativar respostas do sistema imunológico em certas situações – como a entrada de um sangue “forasteiro” dentro da corrente sanguínea. É por isso que é tão importante levar em conta o tipo sanguíneo antes de realizar uma transfusão de sangue, por exemplo.

© Depositphotos.com

2. Características do sangue do tipo O.

Como você provavelmente já sabe, existem 8 tipos sanguíneos – A+, A-, B+, B-, O+, O-, AB+ e AB-. Esses grupos são determinados pela presença ou ausência dos antígenos A e B na superfície das células vermelhas e dos anticorpos A e B no plasma.

O sangue de tipo O não possui nem os antígenos A, nem os B, porém possui ambos anticorpos A e B. O tipo O+ é o mais comum entre os tipos sanguíneos, e está presente em 37-53% das pessoas.

© Depositphotos.com

3. Pessoas com sangue do tipo O são doadoras universais.

Pessoas com sangue tipo O + podem doar sangue para todos os 4 grupos, mas apenas para pessoas com RH positivo (O+, A+, B+, AB+). Os glóbulos vermelhos do tipo O podem ser transfundidos para todos os 8 subgrupos, o que o torna um tipo sanguíneo universal que é sempre necessário para transfusões de emergência.

© Mark Salcedo / Joint Base San Antonio

4. Os indivíduos do tipo O podem receber apenas o sangue tipo O.

As pessoas com sangue tipo O + podem receber sangue de pessoas com tipos O + e O-, enquanto aquelas que têm sangue tipo O- só podem receber o mesmo tipo de sangue O-. Em casos de emergência, no entanto, quando o tipo O- está em falta, ele pode ser substituído por sangue tipo O+.

5. Riscos para a saúde.

A relação entre certos tipos sanguíneos e predisposições para algumas doenças ainda é um campo que exige mais pesquisas. Entretanto, algumas teorias já apontam, por exemplo, que indivíduos com sangue tipo O são mais suscetíveis a certas infecções por bactérias e vírus que as pessoas que possuem outros grupos sanguíneos. Alguns estudos apontam também que indivíduos com sangue do tipo O possuem 35% mais chances de desenvolver úlceras duodenais em comparação com os grupos A, B e AB.

© Depositphotos.com

6. Benefícios para a saúde.

Se o seu tipo sanguíneo pode indicar maior possibilidade do desenvolvimento de certas doenças, ele também pode indicar alguns benefícios. Sabe-se, por exemplo, que pessoas com sangue do tipo O possuem um menor risco de desenvolvimento de doenças coronárias em comparação com pessoas do grupo A, B e AB. Estudos mostram também que indivíduos com sangues diferentes do O possuem 25% mais de risco de desenvolver câncer no pâncreas. Além disso, pessoas com sangue tipo O têm um risco menor de desenvolver doenças circulatórias e distúrbios cognitivos. No entanto, manter um estilo de vida saudável e gerenciar os fatores de risco à saúde é crucial para evitar doenças, independentemente do tipo de sangue que você tem.

© Depositphotos.com   © Depositphotos.com

7. Dietas relacionadas em tipo sanguíneo.

Talvez você já tenha ouvido falar sobre certas dietas que, quando adotadas por pessoas de determinado tipo sanguíneo, poderiam trazer benefícios para a saúde. Apesar da grande popularidade dessas dietas, elas ainda carecem de evidências científicas, e não são reconhecidas pela comunidade científica. Os nutricionistas sugerem que o melhor é seguir uma dieta personalizada de acordo com a saúde de cada um, em vez de levar em consideração apenas o tipo sanguíneo.

© Depositphotos.com   © Depositphotos.com

via BrightSide.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.